sexta-feira, outubro 19, 2018
Home > Jornal O Servo > PALAVRA PASTORAL
Jornal O Servo

PALAVRA PASTORAL

A LEI NA FORMA DE MANDAMENTOS E A SALVAÇÃO –  A LEI 

  A rigor, toda a Bíblia não é uma receita de bolo.  No Novo Testamento não se pode fazer uma lista do que vem a ser considerado pecado (beber, fumar, não se casar oficialmente, etc.).  Pois o único meio de convencer o homem do pecado é o Espírito Santo atuar (Jo.16:8). Nunca nós mesmos ou outra pessoa, ou mesmo uma lista feita pela Igreja.  E pode ocorrer que para um crente o Espírito Santo o convença de que determinada atitude é pecaminosa, enquanto que para outra pessoa a mesma atitude não é considerada como tal.  “Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos…” (Rm.11:33). Ou seja, não se cumpre a Lei mecanicamente, como que seguindo alguns mandamentos formais.  Não se vai conseguir. Para agradar a Deus é necessário ter a Lei no coração. Para cumpri-la.  Mas é mesmo necessário cumprir a Lei?  Afinal, o que é a Lei de Deus?

     Lei é um padrão.  Lei é estabelecida por quem tem o poder de estabelecê-la e fazê-la cumprir. Leis dos homens também são para serem cumpridas. Uma lei pode ser dada de diversas maneiras.

     Encontramos na Bíblia que a Lei escrita na forma de mandamentos (chamada Lei de Moisés) só foi dada assim por Deus, porque foi pedida pelos israelitas (Ex.19:8).  Eles rejeitaram a Lei através do contato direto com Deus (Ex.20:19). E pediram uma Lei escrita.  Na verdade, a Lei é um padrão, que pode ser entendido ou visualizado de diversas maneiras.  No Éden a Lei seria dada pelo próprio Deus, segundo a necessidade. Passo a passo. Em Jesus a Lei é ilustrada, pela sua vida (Hb.1:2).  Em nosso tempo a lei (o padrão) é colocada dentro de nós pelo Espírito Santo.  A Lei escrita na forma de mandamentos (os judeus catalogam ao todo no Antigo Testamento 613 mandamentos) foi dada como um “aio”, para ajudar e não para confundir.  Sem estar no “espírito da Lei” (tendo o Espírito Santo) é impossível se cumprila.  É impossível ao ser humano cumprir toda a letra da Lei (Rm.3:10,23).  E hoje podemos dizer também que sem Jesus ninguém cumpre a Lei de Deus. 

     O Senhor Jesus não veio nos “ajudar” a cumprir a Lei.  Ele a cumpriu por nós e em consequência nos “imputa justiça” (2Co.5:19 e Rm.4:5,24), ao invés de tão somente nos “ajudar” a buscá-la (a nossa justiça própria), baseados nos mandamentos da Lei (inclusive o sábado).

     Para quem está em Cristo já não há qualquer condenação por parte da Lei (Rm.8:1), uma vez que Jesus, ao morrer, a cumpriu por nós e nos delegou os méritos de Sua morte, pela graça, cumprindo, portanto, toda a Lei por nós. Aleluia!  Bom para quem está em Cristo.  E o que é estar ou permanecer em Cristo?  Bom, isso é outro assunto!!!

     Cuidado e reverência ao ler o Antigo Testamento!

     Este é mais um exemplo da finalidade da Lei. Ela é perfeita em mostrar o que deve ser cumprido, se alguém o quiser.  Mas ela não ajuda ninguém a cumprí-la  (Rm.7:10). Há muitas passagens no Antigo Testamento que nos deixam dúvidas. Por exemplo, quando Deus afirma que alguém que descumprisse certos preceitos seria eliminado do seu povo (Lv.17:14).  O que isto significava? Quem deveria eliminar a pessoa errada?  O povo ou o próprio Deus?   Na expiação dos pecados (não por atrevimento) no Antigo Testamento havia a necessidade de derramamento do sangue de um animal inocente (Lev.17:11). E quem deseja cumprir a Lei segundo os mandamentos do Antigo Testamento (como os judeus), como vai fazê-lo sem derramamento de sangue?  Não será expiado aquele pecado. Não haverá perdão. Não somos justificados pela Lei do Antigo Testamento.      Não nos deixemos confundir. A Lei de Deus é um padrão que não passou nem passará (Mt.5:18).  A Lei na forma de mandamentos (do Antigo Testamento) nos serviu de aio (ajuda) – Gl.3:24. Mas ela não é eficaz para remover nossos pecados. Somente o sangue de Jesus. Que é suficiente (Ef.1:7). Não se deixe confundir pelo Antigo Testamento, que deve ser estudado como ajuda e símbolos (Hb.10:1). Mas o que nos justifica e salva é somente o sangue de Jesus, que é eficaz e suficiente. Mas a pessoa tem que estar em Jesus, de tal forma que Ele lhe seja SENHOR. Caso contrário não será salvador. Ou seja, não há salvação sem se ser servo do SENHOR Jesus (Rm.10:9,10).

     Um bom termômetro para se ter certeza da salvação  é  ser servo de

Jesus (Rm.6:18), ser guiado pelo Espírito Santo (Rm.8:14) e conseguir amar os irmãos (Rm.13:10). Você está seguro quanto a estes pontos?

     Deus nos ajude a entender esses princípios tão importantes quanto à LEI. 

  

                Pr. Érico Rodolpho Bussinger Ramá – Niterói

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *