SERVAS DEDICADAS AO SERVIÇO DO SEU SENHOR

Na maioria das igrejas chamadas “evangélicas” há um assunto que não ouvimos falar com frequência e nem as pessoas que lá frequentam parece estarem dispostas a praticar. Na verdade, é comum observarmos a grande maioria dos que dizem ser “cristãos” querendo ser servidos ao invés de servir; que foi o exemplo deixado pelo Mestre, Jesus Cristo. Ele disse (e praticou): “assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir …” (Mateus 20:28a). Jesus ensinou princípios que estão na contramão do que aprendemos por aí. O mundo ensina que servir significa rebaixar-se, ser menosprezado, desvalorizado…, porém nosso Mestre afirmou o contrário: “…qualquer que entre vós quiser tornar-se grande, será esse o que vos sirva; e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo; (Mateus 20:26b,27).


A palavra servo vem do grego “doulos”, que significa prender. A ideia é de uma pessoa  presa à outra, como um escravo preso ao seu senhor. Alguém entregue à vontade de outro; um escravo dedicado à vontade de seu senhor a ponto de negar seus próprios desejos e interesses em favor dos interesses do seu senhor.

Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Susana, e muitas outras que os serviam com os seus bens (Lucas 8.3).

Joana, uma mulher da alta sociedade, assim como Susana, possuidoras de bens materiais, mas que, andando com Jesus aprenderam o que seu Mestre ensinou, e se tornaram servas.

As pessoas que possuem uma posição privilegiada na sociedade, geralmente, são assoladas pela ambição, pela tentação de mais glória e poder. Como todo ser humano é sujeito às mesmas paixões e carece da regeneração, com essas mulheres (citadas no versículo) não deve ter sido diferente. Porém, elas encontraram-se com o Mestre Jesus,  nasceram de novo e aprenderam a abrir mão, submetendo seus desejos à vontade de Deus.

Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração (Mateus 6:21).

E hoje, quanto às mulheres de Deus, servas do Senhor! Estamos nos posicionando com firmeza contra os ditames deste mundo ou estamos nos ajustando ao molde dele?

Onde está posto nosso coração?

Estamos servindo ao Senhor como, quando e onde Ele quer, obedecendo à Sua vontade? Ou estamos “servindo” do nosso jeito, no dia que queremos e quando “sobra” um tempo?

Em nenhum lugar deste mundo, que eu saiba, uma pessoa que é contratada para trabalhar pode chegar no local de trabalho a hora que quer ou fazer o que lhe der na cabeça. Há até lugares em que a pessoa não pode estar vestida de qualquer maneira, uma roupa especial é exigida. Ou seja, conserva-se, neste caso, o princípio estabelecido por Deus: servir conforme foi ordenado. “…para saberem exercer todo ofício para o serviço do santuário, conforme tudo o que o Senhor tem ordenado” (Êxodo 36:1b).

Então disse a seus discípulos: Na verdade, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara (Mateus 9:37,38).

Servas de Deus, Ele quer nos usar!

Estamos vivendo os últimos dias, as últimas oportunidades de trabalharmos na grande seara. Seja usando os bens materiais, as aptidões naturais e/ou espirituais, como intercessoras… Enfim, conforme ordenar nosso Senhor!

Todavia, não me importo, nem considero a minha vida de valor algum para mim mesmo, se tão-somente puder terminar a corrida e completar o ministério (serviço) que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus (Atos 20:24).

Elisabete Maria Foster – Comunidade Ramá Petrópolis