Home > Devocionais > PRIORIZAR – PREDISPOR
Devocionais

PRIORIZAR – PREDISPOR

Parte I

Priorizar — Predispor

Essas duas palavras trazem como princípio, aquilo que deveria ser uma prática na vida cristã. A vida cristã genuína (tudo que somos e fazemos) deve ter como base essas esses aspectos: Priorizar e Predispor.

Definição:   Priorizar: Tornar Primeiro       Predispor: Dispor Antecipadamente

           Priorizar: Tornar Primeiro. Quando Jesus fez o convite para segui-lo (Lc. 9:23), Ele definiu como necessidade a valorização (priorização) do Reino de Deus, negando o “EU” (a si mesmo se negue) e colocando o Reino de Deus em primeiro lugar. Para seguir a Jesus, ser seu discípulo, necessariamente os valores tem que mudar; do contrário, não se conseguirá segui-lo, ou se fará por pouco tempo e sem agradá-lo.                                                  

          Jesus em Lucas 9:57 esclarece na prática o que é o “Tornar Primeiro” que estamos falando. Alguém disse a Jesus:  “Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores”.

          A maioria dos líderes faria grandes promessas diante de tal declaração: Tá ligado! É só vitória! Tá determinado! Tá profetizado etc. Jesus é realista. Ele não dizia o que o povo queria ouvir; não usava palavras lisonjeiras para agradar aos homens.

 Jesus desejava que o seguissem; deseja dar-lhes a vida eterna, mas profetizava a verdade. Ele revelou aquele homem que não seria fácil, nem cômodo, mas seria um caminho de sacrifício; e para se sacrificar é necessário priorizar, predispor. Jesus respondeu:“as raposas tem os seus covis, e as aves do céu, os seus ninhos; mas o filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”.

         Com essa resposta, Jesus gerou um conflito naquele homem: Como um Rei não teria onde reclinar a cabeça?

Se o Rei não tem onde reclinar a cabeça e seus súditos? Sofrer para obedecer? Servir a Deus não é sinal só de coisas boas aqui na terra? Que religião é essa que exige sacrifício?

           Jesus precisava ajudar aquele homem tão perdido com as concepções religiosas de seu tempo. Jesus foi muito “duro” em sua resposta, mas com certeza o fez por amor. Jesus não queria desanimá-lo, pelo contrário, queria prepará-lo para conseguir chegar ao fim do caminho e receber a recompensa. Aqui às vezes o caminho é longo, e a nossa recompensa não é aqui na terra. Aqui somos “forasteiros e peregrinos” 1 Pe 2:11.

          No livro de Ageu capítulo 1, Deus exorta o povo, pois eles cuidavam muito bem de suas casas e a “casa” de Deus estava abandonada. Não é tempo de cuidarmos de nossas casas e ter “onde reclinar a cabeça”, enquanto a casa de Deus (obra de Deus) está por fazer. Nosso lar não é aqui; não chegamos ao fim do caminho; e só chega ao fim do caminho aquele que aprende que, independente das situações, ou seja, “ter ou não onde reclinar a cabeça”, é necessário priorizar o Reino De Deus. Jesus disse ao segundo homem: Segue-me! Mas ele estava preso a vínculos familiares:“Deixa primeiro sepultar meu pai”.

           O mesmo Deus que constituiu (e ama) a família é o mesmo Deus que nos ordena priorizar o Reino de Deus. O Reino de Deus está acima de vínculos familiares; até porque se não priorizarmos a Deus e seu Reino, não teremos a benção na família. Devemos cuidar (e bem) da família, mas o Reino de Deus deve ser o primeiro. No céu não haverá esses vínculos familiares, seremos um só povo uma só família. O último queria um tempo a mais:“Deixa-me primeiro despedir-me dos de casa”.

          Jesus ensinou que, quem prioriza o Reino de Deus, mas em algum momento volta atrás não está apto para o Reino de Deus. Os novos valores têm que ser “calibrados” constantemente, do contrário, os antigos valores podem querer voltar. 

             Para priorizamos o Reino de Deus, temos que entender o que é prioridade para Deus. Prioridade não é o que eu acho que é prioridade, ou o que aprendi com a tradição familiar, religiosa, ou com a sociedade. As minhas prioridades não são as prioridades de Deus. Se eu quiser andar de acordo com aquilo que acho que é prioridade vou sempre ter uma justificativa (Prov. 16:2); mas não agradarei a Deus.                         

           Para inicio de conversa, temos que entender que o Reino de Deus (agora), não é desse mundo. O príncipe desse mundo, o deus desse século é satanás. Esse mundo está sendo preparado para o anticristo, não fazemos parte dele, muito menos nos submetemos ao seu rei.

 Nosso Reino não é um Reino visível. Estamos acostumados a valorizar o que é aparente e imediato. Todavia, nosso Reino (agora) não é aparente. Estamos no mundo, mas não somos desse mundo. Por isso as exortações abaixo:“Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que não se vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que não se vêem são eternas” 2 Co 4:18; “Ora, se ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive; pensai nas coisas lá do alto” Cl 3:1;

 “Porque morrestes e a vossa vida está oculta em Cristo com Deus, quando Cristo, que é a vossa vida se manifestar, então vós também vos manifestareis com Ele em glória” Cl 3:3;

 “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a essa vida, somos os mais infelizes de todos os homens” 1Cr 15;19.

           Nosso Reino (agora) não é aqui; mas temos um Reino: o Reino de Deus; temos um Rei: Jesus Cristo.

           Temos que valorizar esse Reino. Esse reino deve ser como um tesouro para nós: “O reino de Deus é semelhante a um tesouro escondido no campo, o qual certo homem tendo encontrado o escondeu; e transbordante de alegria, vai vende tudo que tem e o compra”;

 “ O Reino de Deus também é semelhante a um homem que procura e negocia boas pérolas, e tendo achado uma pérola de grande valor, vai vende tudo que tem e a compra” Mt 13:44.

          Qual é o seu Reino? Quem é o seu Rei? Qual o Rei que você se submete? Em qual Reino você tem investido?

          Outro aspecto relevante, é que essa valorização e esse: “priorizar”, deve ser uma atitude individual. Podemos ajudar e estimular os discípulos a compreenderem essas verdades, mas cada um deverá ter essa compreensão particular e “por amor” priorizar. Se não houver essa revelação, não haverá amor; e sem amor é religião humana e sem valor diante de Deus.

Pr. Luis Henrique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *